A chegada de um filho pode gerar tanto emoções quanto preocupações. Afinal de contas, isso é uma grande mudança no lar, que deve ser antecipada para que os novos pais não sejam pegos desprevenidos.

Na verdade, é difícil prever o que vai acontecer após os filhos nascerem, mas, quando se trata de finanças, existem sim maneiras de fazer um planejamento financeiro familiar que permita que os pais estejam mais bem preparados para a criação dos filhos.

Caso você esteja pensando em ter filhos, continue lendo e veja 6 dicas de como planejar suas finanças para a chegada dos pequenos.

1. Preveja gastos futuros

É provável que você tenha pelo menos uma noção básica dos gastos que vai ter com seus filhos. Escola, alimentação, roupas e saúde são apenas algumas das despesas que você vai ter que incluir no seu planejamento. Pesquise preços de escolas na sua região, planos de saúde e tenha por perto hospitais que aceitam o seu convênio.

Tente também ir aos supermercados mais próximos e simular o quanto pagaria se incluísse os itens extras. Mesmo que o valor não seja o mesmo no futuro (provavelmente não será), você estará mais preparado, financeira e emocionalmente, quando for a hora de pagar as compras. 

É importante ter em mente que você terá gastos extras com as crianças por muitos anos, das fraldas à universidade. Medicamentos, aulas de idiomas, esportes e livros são apenas alguns dos itens a incluir na sua lista.

Fale também com conhecidos e familiares que têm filhos novos e que estão passando por todo o processo para o qual você está se preparando. Caso eles não tenham problemas em discutir questões financeiras, você pode obter dicas valiosas e uma noção melhor do quanto gastaria em cada área e os tipos de gastos inesperados que poderiam aparecer. 

2. Corte gastos extras

Caso você seja do tipo que gosta de torrar todo o salário, pense bem em mudar de atitude se quiser ter filhos. Além de precisar suprir as necessidades da criança, é recomendável sempre ter uma reserva financeira para cobrir imprevistos. 

O chá de fralda é uma grande ajuda, principalmente se você não gastar rios de dinheiro com o evento. Na verdade, o ideal é que não se gaste nada com festas, já que o objetivo dos chás é ajudar os pais a economizar para a chegada do bebê.

Outra boa pedida é esperar o máximo possível para comprar roupas para a criança, pois parentes e amigos costumam dar várias coisas — até mesmo mamadeira, chupeta e shampoo — de presente. Seja também criativo na hora de decorar o quartinho, fazendo mais com menos.

Como vocês certamente terão que mudar sua rotina, pense que será bom se acostumar a sair e gastar menos com restaurantes, bebidas e outros programas que faziam com frequência para matar o tempo.

Algo que também conta muito na hora de planejar a criação dos filhos é a disponibilidade de amigos e familiares por perto. Poder deixar os filhos com a avó ou a tia, por exemplo, pode ajudar a economizar com babá e creche nos primeiros meses de vida. 

3. Contrate um plano de saúde

Um bom plano de saúde é essencial mesmo antes da gravidez. Custos com hospitais, maternidades e o próprio parto podem custar mais do que 10 mil reais, e existem convênios que cobrem essas despesas por inteiro. 

Ao escolher um plano de saúde, ou caso já tenha um, cheque o custo de adicionar mais uma pessoa e veja suas opções, pois é fundamental que seu filho seja acompanhado de perto por um pediatra durante toda a sua infância.

4. Estabeleça prioridades

Ninguém precisa ser rico para criar filhos. Porém, de acordo com sua renda familiar, pode ser necessário ter que listar as prioridades que os pais têm para as crianças.

Por exemplo, caso uma boa escola particular seja prioridade número um, é possível compensar o dinheiro gasto na mensalidade com a decisão de comprar menos brinquedos, ou aqueles mais em conta.

A verdade é que crianças não sabem e não se importam com o preço dos presentes que ganham. Por isso, use sua criatividade para realizar atividades e criar brinquedos com o que tem em casa. A própria fabricação pode se tornar uma diversão para os seus filhos.

Na adolescência, outras escolhas terão que ser feitas, como matricular ou não o seu filho em um curso de idiomas, pagar ou não um cursinho pré-vestibular, arcar ou não com as despesas de uma faculdade privada.

E não adianta pensar que seus filhos não vão precisar de nada disso, pois não é possível prever o futuro. É possível apenas tentar se preparar para o que ele pode trazer.

5. Mantenha uma reserva de emergência

Algo que um bom planejamento financeiro garante, além de ter dinheiro o bastante para cuidar dos filhos, é poder manter uma reserva financeira para possíveis emergências. Por mais detalhado que seja nosso planejamento, não podemos evitar imprevistos como demissões ou algum problema de saúde mais sério na família. Por isso, estabeleça uma porcentagem do orçamento mensal para a reserva e comprometa-se com ele. 

Outra forma de aumentar sua reserva é investir parte do dinheiro. Pesquise e compare as melhores opções de investimento, como a Bolsa de Valores ou o Tesouro Direto.

6. Ensine seus filhos a ajudar em casa

Embora muita gente pense que filho gera apenas despesa, essa não precisa ser a realidade. Ensine seus filhos a economizar e a ajudar nessa tarefa.

Hoje em dia, com tanta propaganda e opções de brinquedos, tecnologia e entretenimento, é fácil que os seus filhos sintam impulsos consumistas com certa frequência. Por isso, é importante que as finanças sejam um assunto discutido em família. 

Por fim, o planejamento financeiro familiar é algo de longo prazo e que necessita de muita determinação. Com a chegada de novos membros à sua família, será necessário deixar de lado alguns dos velhos hábitos e gastos. Sua prioridade será se dedicar ao bem-estar e futuro dos que dependem de você.

E então, gostou das nossas dicas? Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, deixe seu comentário abaixo que responderemos o mais breve possível.

Sonho da casa própria 2019Powered by Rock Convert