Mais independência nas suas decisões e escolhas, mais liberdade quanto a horários e utilização dos espaços e uma maior privacidade para receber quem quiser ou começar uma vida a dois. Essas são apenas algumas das vantagens de sair da casa dos pais e morar sozinho.

Não é à toa que cada dia mais pessoas anseiam por essa conquista e encaram essa mudança como um passo importante para a sua realização pessoal.

Entretanto, para que esse processo ocorra sem imprevistos e com o máximo de garantias e organização possível é necessário estar atento a algumas dicas essenciais. Reunimos 6 delas para lhe ajudar nessa missão! Confira:

1. Prepare-se psicologicamente para sair da casa dos pais

Sair da casa dos pais é o desejo de muitas pessoas que querem dar os seus próprios passos, construir seu futuro e ter total autonomia das suas decisões no dia a dia — especialmente quando deseja casar e constituir sua própria família.

Porém, esse é um processo que demanda uma preparação psicológica prévia, afinal, é uma mudança grande de rotina e, principalmente, de estilo de vida. Por essa razão, enquanto planeja essa transição, comece a adaptar o seu cotidiano para a sua futura realidade.

Isto é, faça tarefas que parecem simples e até mesmo bobas, mas que serão de extrema importância quando você morar sozinho. Preparar suas próprias refeições, por exemplo, fazer compras no supermercado para se familiarizar com produtos ou mesmo alimentos que você não sabe ao certo como comprar, lavar suas roupas etc.

2. Elabore um bom planejamento de gastos a longo prazo

Além da dica anterior, é indispensável que você elabore um bom planejamento de gastos para que você faça um melhor proveito das suas finanças quando estiver fora da casa dos seus pais.

Por isso, pegue um papel e caneta ou crie uma planilha de despesas e anote detalhadamente todos os custos mensais que você terá. Inclua desde os gastos primordiais, como água, gás e luz, até aqueles mais específicos, como academia e internet.

Uma vez feito isso, você vai aprender a estabelecer um orçamento mensal para suas despesas para que elas não extrapolem os limites e para que não surjam dívidas desnecessárias que podem comprometer sua renda e afetar sua qualidade de vida.

3. Guarde um dinheiro para ter uma reserva financeira

Ao montar o seu planejamento de despesas é importante que você também trace um plano para poupar uma determinada quantia mensal e juntar, aos poucos, uma reserva que seja equivalente, pelo menos, a 4 ou 5 meses de trabalho.

Pode ser 10%, 15% ou 20% da sua renda ou até mesmo mais — caso você não tenha muitos gastos enquanto mora com os pais. No futuro, esse valor pode servir para que você invista no seu lar em relação à mobília, aos eletrodomésticos e aos acessórios, por exemplo.

Além disso, essa reserva financeira pode ser muito útil caso ocorram imprevistos relacionados ao seu emprego ou a algum custo extra, como uma possível reforma com a qual você não contava.

4. Informe-se sobre os documentos e os trâmites necessários

Ao planejar a compra da sua própria casa, você deve pesquisar de antemão todas as informações necessárias acerca do processo de aquisição do imóvel junto a uma empresa de confiança dentro do mercado imobiliário.

Questões como a documentação necessária para comprar um apartamento e os trâmites envolvidos, por exemplo, são um passo indispensável para que você possa se organizar e até mesmo poupar tempo. Mas não só isso.

Busque inteirar-se também sobre as opções de financiamentos e subsídios disponíveis para você e que atendam às suas necessidades e caibam no seu bolso, como o programa Minha Casa Minha Vida.

5. Pesquise o bairro ideal para as suas necessidades

Outra dica importante para sair da casa dos pais e encontrar um bom local para morar é pesquisar por aqueles bairros que melhor atendem às suas necessidades diárias.

E, para que isso seja possível, é essencial que não apenas o tempo de deslocamento para o seu trabalho e suas atividades cotidianas seja compatível com o que você deseja, mas também que o local conte com uma boa variedade de estabelecimentos comerciais que facilitem a sua rotina, como farmácias, bancos, mercados etc.

Além disso, é importante que você também leve em conta a infraestrutura da região, ou seja, analise os espaços de convívio e interação social, como praças e parques, verifique o funcionamento e a disposição do transporte público (ônibus, metrô etc) no bairro, a iluminação pública à noite entre outros aspectos essenciais para a sua segurança e comodidade.

Com essas informações, você evitará imprevistos ou arrependimentos acerca da sua decisão de mudar de residência e garantirá que a escolha feita será a melhor para o seu dia a dia.

6. Invista na compra de um apartamento na planta

Por fim, mas não menos importante, pesquise e se informe a respeito de alternativas concretas e que cabem no seu bolso sem recorrer ao aluguel e comprometer seu orçamento mensal e até mesmo sua qualidade de vida.

Uma das mais viáveis e interessantes, por exemplo, é a compra do apartamento na planta. Isso porque, além das maiores chances de financiamento do imóvel, você pode efetuar a entrada dele e proceder com o pagamento das parcelas restantes enquanto ainda mora com os seus pais.

Dessa forma, você coloca em prática nossa dica anterior sobre ter um bom planejamento de gastos sem afetar suas reservas financeiras e apenas muda para o seu novo lar quando este estiver pronto — o que lhe dá uma melhor margem de tempo para preparar-se psicologicamente para essa mudança positiva tão aguardada e deseja na sua vida.

Com as nossas dicas o processo de sair da casa dos pais será muito mais fácil, organizado e bem pensado financeiramente. Assim, essa transição vai marcar uma nova etapa na sua vida na qual você terá mais independência, autonomia e construirá seu próprio futuro. Por isso, não deixe de segui-las!

E, se você gostou deste post e quer saber mais sobre como conseguir o tão sonhado lar, não deixe de seguir a nossa página no Facebook!

Powered by Rock Convert