Conquistar a casa própria continua sendo um dos maiores objetivos de boa parte do povo brasileiro. No entanto, a crise econômica que o país experimentou pode ter tornado essa tarefa um pouco mais difícil e é por isso mesmo que você não pode deixar de saber tudo o que puder sobre o Minha Casa Minha Vida.

Embora ele possa ser a solução para seus problemas, provavelmente existem muitas coisas que você não imaginava sobre esse popular programa desenvolvido pelo governo federal. Está interessado em aprender um pouco mais sobre o tema? Então confira o conteúdo a seguir.

1. São diversas modalidades e valores

Provavelmente, uma das coisas que você não imaginava sobre o Minha Casa Minha Vida é que o programa possui várias modalidades e valores. A liberação do benefício é proporcional à renda mensal dos beneficiários e é essa classificação que acaba definindo qual será o valor das parcelas que serão pagas.

Na faixa 1, por exemplo, entram as famílias que ganham até 1.800 reais por mês. Já na faixa 1,5, que muita gente sequer sabia que existia, estão inclusas as famílias que recebem até 2.600 por mês..

O grupo da faixa 2 é destinado às famílias que ganham menos de 3600,00 reais mensalmente e o valor a ser financiado é analisado de acordo com o valor da renda. Por fim, a faixa 3 é para famílias com renda de até 6.500,00 reais por mês e essa modalidade permite a utilização dos recursos do FGTS do trabalhador (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

2. Existem várias tabelas de pagamento

Independentemente da faixa na qual o cidadão se enquadra, é possível fazer o pagamento das prestações do Programa Minha Casa Minha Vida de maneiras diferentes, com variações similares às que ocorrem nos financiamentos imobiliários dos bancos comuns.

Uma possibilidade é a de utilizar a Tabela SAC (Sistema de Amortização Crescente), que permite que você comece pagando as parcelas com um maior valor e, depois, vá reduzindo essa quantia com o passar dos anos.

Outra possibilidade é a Tabela Price. Ela segue um padrão diferente e, nela, o beneficiário pode ir quitando seu débito com prestações que serão fixas até o final do empréstimo.

3. Há limite do comprometimento da renda

O governo estabelece um teto para o comprometimento de renda dos beneficiários, de forma que isso reduza efetivamente as chances de as pessoas não conseguirem arcar com as suas prestações em dia. Muito provavelmente, essa é outra das coisas que você não imaginava sobre o Minha Casa Minha Vida.

Para quem recebe entre 800 e 1.200 por mês, o limite é de 30% da renda. Já para famílias que ganham valores entre 1.600 e 1.800, a restrição sobe para até 30% do orçamento. Para as demais faixas, a fronteira fica em 30% da renda familiar e há a possibilidade de contar com até 36 meses do seguro-desemprego para quem foi demitido. ( todos limitam a 30%).

4. Conta com incidência de juros

Muita gente pensa que o Minha Casa Minha Vida é livre da incidência de juros. No entanto, de acordo com as novas regras que entraram em vigência esse ano, isso só ocorre para os participantes da faixa 1. O que acontece com os demais beneficiários é que a alíquota é mais baixa da que é praticado no mercado.

Famílias na faixa 1,5 pagam 5% ao ano, enquanto as contempladas nas faixas 2 até 7% ou 3 do programa arcam com tarifas até 8,16% anualmente. Quando mais elevada for a renda, maiores tenderão a ser os juros.

A grande questão mesmo é ficar em dia, pois um atraso no pagamento trazer consequências graves, como a perda definitiva do imóvel e ou impedimentos para a realização de um outro financiamento imobiliário com o programa.

5. Possui atendimento personalizado

É muito comum que as pessoas tenham muitas dúvidas sobre o Minha Casa Minha Vida. Porém, a possibilidade de contar com um atendimento especializado é outra das inúmeras vantagens do programa. Existem diversos locais que são destinados especificamente para tirar as dúvidas das pessoas e explicar como funciona o benefício.

Também há o “Programa Caixa de Olho na Qualidade”, que vem a ser uma espécie de canal para responder as interrogações mais corriqueiras sobre o tema e que também serve como um tipo de serviço de atendimento ao consumidor, registrando problemas e dificuldades que os participantes possam ter com seus imóveis ou com as prestações.

6. Existe um Fundo Garantidor

Uma das coisas que você possivelmente não imaginava sobre o Minha Casa Minha Vida é que o Governo Federal instituiu um benefício para trazer mais segurança para os participantes do programa. Ele se chama Fundo Garantidor e, como o próprio nome já diz, tem o intuito de garantir mais tranquilidade para o pagamento das parcelas.

É uma opção muito importante, sobretudo em momentos como os dias de hoje, onde eventualmente existem variações na economia e o número de demissões dispara. O Fundo serve para o caso de o participante ficar sem trabalho durante o pagamento do financiamento por um prazo de até 36 meses ou até que ele ache uma nova posição no mercado.

7. Proporciona retorno financeiro garantido

Por fim, outra coisa que você pode não saber sobre o Minha Casa Minha Vida é que ele é a chance que você queria para gerar patrimônio para sua família e ter um retorno financeiro garantido. A aquisição de um imóvel cria um verdadeiro porto seguro para as suas economias e proporciona dias mais tranquilos por anos ou até décadas.

É fundamental compreender que, casas e apartamentos quase sempre se valorizam e, com as facilidades que o programa oferece, você não pode deixar essa oportunidade passar. São condições incríveis, que permitem que você se torne um proprietário com juros muito baixos e prestações que efetivamente cabem no seu bolso.

E agora, virou um especialista no programa Minha Casa Minha Vida? Gostou deste conteúdo? Então compartilhe esse artigo em suas redes sociais!

Powered by Rock Convert