A decisão de comprar um imóvel — apesar de ser muito prazerosa — sempre vem acompanhada de uma dose de incômodo. Afinal, poucas são as pessoas que conseguem comprar um imóvel à vista.

Então, a solução passa a ser um financiamento de imóvel, o qual é acompanhado de juros e parcelas durante períodos que podem durar até 35 anos.

Por isso, conseguir negociar parcelas menores pode ser um grande diferencial e aumentar seu grau de satisfação ao conquistar o sonho da casa própria. O que você provavelmente não sabe é que existem várias formas de alcançar esse objetivo.

Por isso, fizemos este post com algumas dicas essenciais para diminuir as parcelas de seu financiamento de imóvel.

Confira!

 

Faça uma comparação das condições ofertadas pelos bancos

Outra coisa que varia bastante são as condições de financiamento. Os contratos são muito complexos e, inevitavelmente, estão cobertos de burocracia — tanto para você quanto para o banco.

Por isso, frequentemente os financiamentos não são feitos diretamente pela empresa, mas por corretoras especializadas ou mesmo subsidiárias dos bancos.

Há uma variedade enorme no mercado — são cerca de 200 empresas registradas atualmente. Cada uma delas pode se especializar em um segmento de clientes ou em algum padrão de imóvel, adaptando as condições a seu público.

A taxa de serviço cobrada por elas, por exemplo, pode variar do valor fixo de R$ 1.200,00 até uma taxa variável de 5% do imóvel, com a alegação de que cobrirão todas as taxas do processo. Além disso, as condições do próprio financiamento podem variar:

  • as empresas podem exigir um limite de financiamento entre 10% e 40% do valor do imóvel. Isso significa que você deverá ter esses valores à vista para garantir ao banco que tem condições de honrar o financiamento;
  • o comprometimento da sua renda também é algo que interessa aos bancos. A maioria deles não aceita um comprometimento maior do que 30%, mas há aqueles bancos que permitem até 35%;
  • o prazo máximo de financiamento é o fator que mais contribui para o tamanho das suas parcelas. Portanto, atenção! Os prazos podem variar de 360 prestações até 420. Então, cabe a você decidir se quer parcelas menores ou um financiamento 5 anos mais curto.

Utilize o FGTS a seu favor

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é um grande aliado no momento da compra do imóvel. Nessa situação, porém, deve-se tomar alguns cuidados. Esse fundo é uma garantia oferecida ao trabalhador em caso de demissão mas, em situações especiais, como essa, também pode ser utilizado.

No caso dos imóveis, isso pode ser feito de três formas:

  • pode ser usado logo no início, como uma entrada;
  • durante o pagamento das prestações para a amortização antecipada da dívida;
  • durante o pagamento das prestações para quitar as prestações.

A diferença entre o segundo e o terceiro caso é a seguinte: amortizar a dívida significa reduzir o montante final da dívida. Então, se você ainda tem de pagar R$ 115.000,00 e utilizou R$ 30.000,00 do FGTS para amortizar, por exemplo, isso significa que sua dívida foi reduzida para R$ 85.000,00.

Portanto, sobre esses R$ 30.000,00, não recairão os juros do financiamento. Quando você quita antecipadamente as prestações, entretanto, o financiador considera que você está adiantando algumas parcelas.

Desse modo, todos os juros e taxas são também incluídos. Então, os R$ 30.000,00 não serão mais debitados diretamente da dívida e você pode levar algum prejuízo nessa situação.

Saiba escolher o sistema de financiamento de imóvel ideal para você

Há dois sistemas de financiamentos imobiliários vigentes atualmente: a Tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC). No primeiro, o valor das prestações é fixo — varia somente a tradicional correção mensal do saldo devedor pela Taxa Referencial. Com isso, a velocidade de quitação do bem será sempre a mesma.

Ou seja, a cada mês, você reduzirá a mesma taxa da sua dívida. No SAC, entretanto, a velocidade de quitação varia. No início, ela é mais acelerada. Portanto, você está reduzindo sua dívida a uma taxa maior, que vai decrescendo com o passar dos anos do financiamento. Esse é o chamado sistema de prestações decrescentes.

Como a TR pode aumentar de mês em mês, o SAC pode garantir uma economia de até 15% — uma vez que você ficará cada vez menos dependente das variações da TR.

Avalie e compare bastante as opções

Os gerentes dos bancos também são vendedores — não se esqueça disso! Então, quando você vai negociar um financiamento, eles farão de tudo para convencer você de que as condições são as melhores. Por isso, eles podem lançar mão de artifícios que parecem vantagens a princípio, mas que se revelam armadilhas com o passar do tempo.

Então, não dê uma resposta logo depois de uma proposta. Peça para que eles te passem as condições por escrito e compare-as com a de todos os outros bancos que você foi.

Faça uma tabela e elenque as vantagens e as desvantagens de cada um, lado a lado. Com isso, você pode avaliar qual delas se encaixa melhor nas suas condições atuais e nos seus planos.

Viu como a decisão de financiamento de imóvel é bastante delicada e deve ser feita com cuidado? Dessa forma, você pode economizar bastante e reduzir as prestações. Quem faz essa dívida por impulso geralmente se arrepende, pois passa a pagar em condições desfavoráveis e que corroem mais a renda familiar a cada ano.

Portanto, atenção e cuidado! Com o planejamento adequado tudo dá certo.

Quer escolher um imóvel com as melhores condições de financiamento do mercado? Então, entre em contato com a nossa empresa, certamente temos a solução ideal para você.