A maioria das pessoas, quando está planejando a compra do tão sonhado apartamento, se depara com a dúvida mais comum desse mercado: comprar um apartamento novo ou usado? As diferenças entre um imóvel novo e um antigo vão além da estética ou do preço. É preciso levar muita coisa em consideração antes de tomar uma decisão como essa.

Pensando nisso, trouxemos, neste artigo, as vantagens e desvantagens de cada uma dessas opções. Quer tirar sua dúvida de uma vez por todas? Então continue lendo este texto!

Qualidade da construção

Geralmente, quando estão procurando um apartamento para morar, as pessoas tendem a observar apenas itens como tamanho, localização, divisão dos cômodos, quantidade de banheiros e vagas de garagem. Apesar de serem aspectos decisivos, é fundamental atentar a características importantes sobre o método de construção do seu imóvel.

Nesse sentido, não basta um apartamento ter o tamanho ideal e o condomínio com mais opções de lazer se a própria fundação da construção não for de qualidade. Atualmente, no Brasil, encontramos três tipos de construção de imóveis: alvenaria tradicional, alvenaria autoportante e os pré-fabricados.

Alvenaria tradicional

Método de construção mais comum nas cidades brasileiras. Consiste em colunas e vigas erguidas sobre uma fundação de estacas escavadas ou baldrames. A obra é completamente sustentada por essas estruturas. Uma das principais vantagens é a qualidade da obra e a possibilidade de personalização nos formatos e divisões dos cômodos.

Por outro lado, por ser um tipo de construção utilizado há muitos anos, está passível da ocorrência de vícios de construção por parte dos profissionais envolvidos, como desníveis, estruturação fora de esquadro, desaprumo etc.

Alvenaria autoportante

Método construtivo em franca expansão no Brasil, a alvenaria autoportante consiste em obras sustentadas por blocos estruturais. Aqui, as vigas e colunas não ocupam a mesma importância, podendo ser dispensadas na construção.

As principais vantagens são a economia e a sustentabilidade, uma vez que esse método elimina um grande gasto de material com as vigas e colunas. Outro ponto positivo é poder passar tubulações por dentro dos blocos estruturais, evitando a quebra de alvenaria. Entretanto, o maior problema é que a divisão inicial do imóvel não pode sofrer alterações, já que as paredes têm, por si só, a função de segurar toda a estrutura da construção.

Pré-fabricados

Apesar de o nome ser utilizado para algumas construções mais populares aqui no Brasil, os pré-fabricados ocupam uma outra categoria de imóveis, sendo muito comuns no exterior. São, na verdade, estruturas já montadas em fábrica e instaladas em uma fundação. Dessa forma, é possível erguer uma construção inteira por módulos, quase como um grande Lego.

Rápido e resistente, esse método ainda é muito barato no exterior. Entretanto, é muito difícil de encontrar no Brasil e demanda uma manutenção constante, além da limitação das opções de design.

A compra na planta

O apartamento na planta é aquele imóvel negociado e comercializado quando o empreendimento ainda não se encontra finalizado. Adquirir um apartamento nesses moldes traz algumas vantagens financeiras, como a negociação mais flexível e a valoração, que pode atingir até 20% após a finalização da obra.

Dependendo da construtora, você pode alterar algumas coisas no seu apartamento ainda na fase de construção, evitando obras em um apartamento novo. Ou seja, você recebe o seu imóvel do jeito que deseja e, ainda por cima, completamente novo.

Entretanto, a compra na planta pode trazer alguns riscos. Os mais comuns são o atraso na entrega das chaves, que pode ocasionar alguns problemas de planejamento para você. Outro ponto é que, ao comprar um apartamento na planta, você nunca terá a noção exata de como ele ficará de verdade até estar pronto, o que pode fazer com que você se decepcione. Por isso, o ideal é buscar por incorporadoras de qualidade e com um portfólio vasto.

Condições de compra

Não podemos continuar esta comparação sem falar de um dos aspectos que mais afetam a escolha: o preço. A maioria das pessoas, quando planeja a compra de um imóvel, opta pelas diferentes modalidades de financiamento.

Apartamentos usados são, geralmente, mais baratos que os novos e trazem uma boa margem de negociação do preço. Muitas vezes, o proprietário precisa vender com certa urgência, o que abre oportunidades para conseguir bons descontos.

Já os apartamentos novos, em comparação, costumam ser um pouco mais caros. E, se não forem adquiridos na planta, a negociação é mais difícil. Entretanto, quando o financiamento é a opção para a compra, um aspecto deve ser levado em consideração: o prazo.

Financiamentos de imóveis costumam ser negociados a longo prazo. Dessa forma, é melhor adquirir um imóvel novo, que, quando terminar de ser pago, ainda terá um bom valor de mercado, do que financiar um apartamento que já tenha 20, 30 anos ou mais.

Localização

A localização é um dos pontos mais observados na hora de se adquirir um imóvel. Afinal de contas, a logística do dia a dia dependerá muito de onde seu apartamento está localizado.

A maioria das capitais brasileiras é composta por cidades mais antigas, já saturadas. Isso significa que os apartamentos mais próximos dos centros urbanos costumam ser muito mais velhos, o que se traduz em uma grande vantagem para esse tipo de imóvel.

Entretanto, é possível encontrar projetos de condomínios novos com ótimas localizações, também próximos dos grandes centros. Geralmente, os novos empreendimentos das construtoras privilegiam locais com serviços próximos e áreas urbanas planejadas mais recentemente. Isso significa que é fácil encontrar serviços como escolas, bancos, mercados, entre outros, próximos do seu imóvel.

Adequação às necessidades

É claro que cada um dos levantamentos que fizemos neste artigo deve ser levado em consideração na hora de adquirir um imóvel. Entretanto, vale ressaltar que os casos variam de um para o outro, sendo fundamental entender quais são as suas necessidades.

Se, por exemplo, a sua família é pequena e você não precisa do espaço de um apartamento antigo com 180m², investir em um imóvel novo pode ser a melhor opção para você. Mas, se a sua ideia é contar com um espaço grande e arcar com os custos de uma grande reforma para modernizar o local, um apartamento antigo pode ser uma boa escolha.

Comprar um apartamento novo ou usado é uma decisão que deve ser feita com a consciência de que cada opção carrega suas vantagens e desvantagens, de modo que é fundamental entender o que se adéqua melhor a você. Por isso, que tal assinar a nossa newsletter para continuar recebendo dicas incríveis como as que trouxemos neste post para você?