Comprar um imóvel, sem dúvida, é uma grande responsabilidade. Ao longo do processo de negociação existem muitas variáveis que devem ser observadas com o intuito de garantir que o acordo se concretize com êxito e confiança. Mas como escolher um imóvel que caiba no seu bolso?

É essencial que, antes de assegurar a compra da casa ou apartamento, você se certifique das suas condições financeiras, bem como de todos os gastos e burocracia que estão relacionados ao processo de aquisição. Afinal, nada será mais frustrante do que escolher um imóvel e perceber que ele não cabe no seu orçamento.

O objetivo deste post é dar algumas dicas sobre como escolher um imóvel que seja o mais próximo possível do que deseja e, ao mesmo tempo, compatível com as suas finanças. Acompanhe!

Faça uma pesquisa on-line limitando a busca pelo valor

Hoje em dia, grande parte da decisão de compra de imóveis é feita pela internet. Isso demonstra que a maioria dos compradores, antes de sair por aí procurando o imóvel ideal, dá uma boa investigada nas possibilidades disponíveis on-line. Você pode fazer o mesmo.

Já existem sites e aplicativos que facilitam esse processo, fornecendo aos seus usuários as informações que precisam sobre o imóvel desejado, o que inclui fotos dos ambientes externos e internos. Você também pode filtrar mais as buscas, marcando as regiões e os tipos de imóveis que deseja encontrar.

Por exemplo: na página de busca, além de limitar o valor do imóvel, marque também o estado, a cidade e o status (novo, usado ou na planta). Assim, você cobrirá uma área muito maior de pesquisa sem sair da sua casa e gastando pouquíssimo tempo.

Procure sempre respeitar o seu orçamento mensal

Comprar um imóvel exige bom planejamento financeiro. Imagine se, ao longo do processo de compra, surgir algum imprevisto na família e você necessitar destinar parte da receita mensal a outras despesas. Nessa condição, inevitavelmente, terá que realizar um empréstimo, assumindo mais uma dívida, além das parcelas do imóvel.

Problemas como esses podem ser evitados com a destinação de um orçamento próprio para a compra do imóvel. Ao se basear nas despesas e condições financeiras mensais que tem, você saberá precisamente qual é o montante que falta para fazer esse investimento e o valor disponível para gastar, evitando dívidas no caminho.

Identifique o tipo de imóvel que deseja comprar

Compreender a diferença entre os tipos de imóveis disponíveis no mercado possibilita, além de conhecer mais sobre o segmento imobiliário, descobrir as ofertas que vão atender melhor as suas necessidades de compra. Buscar o imóvel perfeito depende de muitos fatores, mas os principais estão associados às suas exigências e necessidades.

Por exemplo: você busca uma casa ou apartamento? Prefere na planta (projeto em fase de construção), novo (recém-entregue) ou usado? Se conseguir responder a essas perguntas, a construtora ou imobiliária poderá direcioná-lo para aquilo que tem mais a ver com você, poupando grande parte do seu tempo no processo.

Além disso, é importante considerar o número de quartos, vagas de garagem, área de lazer e outros benefícios. Lembre que o tamanho da residência (metros quadrados), a localização e a idade do imóvel contam muito para determinar o valor.

Imóveis usados costumam ser uma opção mais em conta, mas podem exigir grandes investimentos em reforma, perdendo parte da vantagem do preço. Nesse caso, talvez seja mais interessante optar por um apartamento na planta. Por fim, se optar por apartamento, não se esqueça de considerar a taxa de condomínio.

Escolha a região em que prefere morar

Morar em bairro nobre é o desejo de muita gente, mas os imóveis são bem mais caros e talvez ainda seja cedo para o seu orçamento suportar. Uma solução é adquirir um imóvel em região que esteja recebendo maior atenção do governo, pois tenderá a evoluir e valorizar rápido.

Regiões que cercam os grandes centros urbanos e estejam recebendo investimentos em urbanização, construções de unidades governamentais, prédios de serviços públicos e shoppings são uma boa alternativa, pois os imóveis são mais baratos nesses locais agora, podendo valorizar-se muito em pouco tempo.

Avalie o preço do metro quadrado

Tenha em mente que, independentemente da região ou tipo de imóvel que escolher, é necessário verificar se o preço está na média do que é cobrado no bairro. Claro que o preço pode variar, pois alguns atributos influenciam no valor do imóvel, como ser novo ou usado, se ainda está na planta, o número de suítes, vagas de garagem, entre outros fatores.

Então, pesquise o valor com base em imóveis parecidos, na mesma região. Ao saber o preço do metro quadrado daquilo que almeja, pode comparar com o seu orçamento financeiro e descobrir se dá para concretizar a aquisição, à vista ou financiado.

Decida como vai pagar

Pouca gente tem condição de comprar um imóvel à vista, e o financiamento torna-se inevitável. Isso pode elevar bastante o preço do imóvel por conta dos juros. Mas existem alternativas que devem ajudar a suavizar esse custo, como o uso do FGTS e a escolha de modalidades mais adequadas às suas necessidades.

Para isso, é preciso analisar os tipos de financiamento disponíveis e reduzir algumas despesas para economizar e encaixar o valor das parcelas nele. Os principais tipos de financiamento são SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário), SFH (Sistema Financeiro de Habitação), Minha Casa Minha Vida, consórcio e pró-cotista.

Além disso, é bom ficar atento ao sistema de amortização escolhido. Os principais são:

Price

Cada parcela tem uma cota de juros e amortização que variará em sentido oposto ao longo do tempo. As parcelas iniciais tendem a ser menores, só sendo aumentadas em função da aplicação da TR (Taxa Referencial). Aqui, você só perceberá a redução do saldo devedor quando tiver com 50% das prestações quitadas.

SAC

É o mais usado atualmente. A amortização é estável, reduzindo o principal. Com isso, as parcelas iniciais são maiores e vão decrescendo. O saldo devedor começa a diminuir logo após a primeira prestação paga.

Sacre

Mescla o método SAC com o Price. As parcelas têm valor crescente de início e diminuem no decorrer do tempo porque, a cada 12 meses, o cálculo do Sacre é repetido, e os juros do montante que já foi amortizado são reduzidos.

Agora, que você já sabe como escolher um imóvel que caiba no seu bolso, prepare o orçamento e ganhe poder de compra daquilo que tanto almeja.

Conte para a gente, nos comentários, como você está se preparando para realizar o sonho de comprar a casa ou o apartamento próprio. 

Powered by Rock Convert