Quando conhecemos alguém especial, se casar — ou apenas morar juntos — se torna um dos maiores propósitos ou desejos do casal. Afinal, viver uma vida a dois tem um valor simbólico muito importante, de demonstração de amor, comprometimento e parceria entre ambas as partes. Porém, para que isso seja possível, ter um próprio cantinho é fundamental para iniciar essa nova fase.

No entanto, antes de fechar um negócio e comprar um imóvel, o casal deve levar em consideração alguns itens que são fundamentais para obter sucesso na transação, como uma localização adequada e que atenda às necessidades e gostos dos futuros moradores.

Você já deve ter ouvido dizer que “quem casa quer casa”, e é sobre exatamente isso que falaremos! Então, se está pensando em iniciar uma vida a dois e quer conquistar o lar dos sonhos, confira nosso material com algumas dicas de como comprar o seu imóvel.

Tenha visão de investidor

Atualmente, adquirir um imóvel é bem mais que ter apenas uma edificação em seu nome, é também um investimento. Por isso, antes de qualquer decisão, é muito importante que você enxergue os potências da propriedade analisado tanto para uma futura venda, quanto para o conforto de quem viverá no local.

Talvez, adquirir um imóvel novo seja muito bom para o casal, pois as chances de precisar de uma reforma é bem menor. No entanto, um empreendimento que já tenha sido usado e que precisa de alguns retoques em determinados cômodos pode fazer com que a casa se valorize no mercado.

Outro ponto importante a ser analisado é a época em que a residência será adquirida. O mercado imobiliário, como qualquer outro, sofre altos e baixos, por isso, saber quando comprar o novo imóvel é fundamental para economizar e conseguir comprar aquele armário de cozinha novo que vocês sempre sonharam! 

Defina o estilo de vida que o casal pretende ter

Nem sempre o imóvel dos sonhos está relacionado a um empreendimento de luxo, às vezes ele é uma casa simples em um bairro mais afastado. Contudo, quem define isso são vocês. O estilo de vida que se pretende ter é um dos primeiros itens a serem considerados, pois é ele que ajuda a filtrar melhor a região, tipo de residência, quantidade de cômodos etc. que o domicílio deve conter.

Ter uma vida a dois significa ter mais responsabilidades, pois as despesas que uma casa gera forma uma lista enorme. Temos conta de água, energia, internet, impostos, telefone, TV a cabo — e até condomínio, se a ideia for morar em um apartamento. Sendo assim, boa parte do salário do casal estará comprometida com esses gastos. 

No entanto, dependendo da distância em que se encontra o imóvel em relação ao trabalho, os gastos com transporte podem aumentar esse custo. Além disso, regiões mais nobres costumam ter supermercados e padarias com produtos em um valor mais elevado. Sendo assim, é importante colocar tudo no papel e ver se com o salário líquido total recebido é possível suprir todas esses gastos sem se afundar em dívidas.

Defina o valor que poderá ser gasto

Atualmente, com as diversas possibilidades de pagamento, é muito mais fácil adquirir um imóvel. Contudo, obviamente, isso não significa que é permitido comprar um empreendimento de qualquer valor. Sendo assim, antes de começar a olhar as residências disponíveis no mercado não deixe de conversar com o seu parceiro sobre o valor máximo que poderá ser gasto — e isso inclui valor a ser acrescentado para uma possível negociação.

Além disso, não se esqueçam de contabilizar os gastos com a documentação necessária para que tudo esteja devidamente regularizado, como custos com cartório e o famoso ITBI (Impostos de Transmissão de Bens Imobiliários). Para saber melhor sobre isso, a dica é conversar com um agente imobiliário de confiança para aconselhá-los nessa etapa.

Crie um roteiro

Antes de fechar o negócio com o primeiro imóvel com que se deparou, é interessante realizar um roteiro para pesquisar outras oportunidades para que não haja nenhum arrependimento após a compra. O ideal é que se realize isso em três passo que mostram visões diferentes e, portanto, ajudam bastante na tomada de decisão. 

Primeiro passo: pesquisa à distância

A internet possibilita o mundo em nossas mãos, sendo assim, nada mais correto que aproveitá-la. Dessa forma, busque por imóveis que estejam à venda nos sites de busca. Você pode filtrar as residências por quantidade de quartos, vagas na garagem, preço, localização e muitas outras opções. Além disso, você pode conferir fotos dos cômodos e demais ambientes que o empreendimento disponibiliza, como área de lazer ou piscina.

Segundo passo: pesquisa pessoalmente

Esse passo é, talvez, o mais importante. Nele, você deve circular pela região em que tem interesse de iniciar o seu novo lar e conhecer de perto os imóveis que se tem interesse em adquirir. Ao ver de perto, você consegue comprovar o estado em que a residência se encontra e se realmente atende os seus requisitos. Além disso, você também pode conversar com a vizinhança e saber um pouco mais sobre a região e a qualidade de vida no local. 

Terceiro passo: avaliação final

Aqui, você une todas as informações coletadas das propriedades que visitou e pesquisou e coloca na balança os prós e contras de cada uma delas para finalmente fazer a decisão final. Se achar melhor, conte com a ajuda de uma pessoa de confiança para ajudar nessa escolha, afinal, uma visão de quem está de fora pode ajudar bastante a tomar a decisão certa.

Conte com ajuda especializada

Como já mencionamos, procurar um agente imobiliário de confiança é o mais indicado na hora de realizar os procedimentos de aquisição de um imóvel. Isso porque ele conhece o mercado e entende quais são os passos que devem ser tomados nesse momento. Dessa forma, você terá total segurança e garantia de que tudo será feito corretamente.

Além disso, como o consultor de negócios imobiliários entende do assunto, as chances de conseguir fechar um bom negócio são muito maiores. Assim, você economiza o dinheiro e pode investi-lo em alguma outra coisa, seja na reforma ou dando uma entrada maior no valor do imóvel.

Outra opção é contratar um advogado para auxiliá-los com as documentações. Investir o dinheiro para esse fim pode aliviar as preocupações do casal e, principalmente, evitar que problemas futuros possam ocorrer. Inclusive, a ajuda de um profissional nesse processo se torna ainda mais importante em casos de imóveis usados e que já estejam ocupados.

Quem casa quer casa, como já dissemos no início do texto, mas a felicidade do casal pode estar em um apartamento. Se vocês também consideram essa possibilidade, não deixe de conferir o nosso material que esclarece as principais dúvidas de quem deseja adquirir um apê.

Sonho da casa própria 2019Powered by Rock Convert